Planejamento estratégico: Aprenda a construir uma jornada para o sucesso do seu empreendimento

A falta de objetivos claros e visão de mercado são dificuldades que impactam muitos negócios brasileiros. Tais sintomas contribuem para que o empreendimento fique estagnado ou até mesmo comece a decair por não se adaptar ao mundo volátil que nos encontramos.


O Planejamento Estratégico pode ser uma “luz” para o empreendedor que colocá-lo em prática. Essa metodologia é utilizada para estabelecer objetivos, metas e planos de ação para impulsionar a empresa a conquistar a posição desejada, além de fundamentar a tomada de decisões assertivas.



Quer definir uma nova direção para sua empresa, mas não sabe por onde começar? Este artigo reúne informações para o desenvolvimento de um planejamento estratégico empresarial que o auxiliará a redirecionar os seus esforços para o caminho certeiro.


Objetivos


Todas as empresas precisam de gestão. Um erro comum é pensar que estruturar um planejamento estratégico seja adequado somente para empresas de grande porte - muitas vezes o fato da empresa ter se desenvolvido seja devido ao planejamento estratégico.


O gerenciamento será feito de maneira muito mais inteligente, fluida e profissional quando existe um percurso a ser seguido, ações e recursos orientados para garanti-lo. O planejamento estratégico faz com que a organização se comprometa com os objetivos estipulados. Veja bem, quando temos um objetivo a ser alcançado, um propósito que acreditamos, podemos visualizar o resultado final que nosso trabalho quer atingir. Quando não temos essa visão, somos desmotivados até para realizar processos básicos do cotidiano.


Os objetivos do planejamento estratégico empresarial e, consequentemente, as vantagens de adotar essa metodologia são inúmeras, podendo-se citar:


  • Motivação e união da equipe de trabalho;

  • Aumento da produtividade;

  • Direcionamento correto dos recursos;

  • Organização dos processos;

  • Agilidade na tomada de decisões;


Etapas


Não existe um procedimento padrão sobre as etapas a serem seguidas para a construção do planejamento. Dessa forma, aqui serão consideradas as etapas estabelecidas pelo Sebrae, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.


1. Diagnóstico empresarial


O primeiro ponto a ser analisado é a situação em que se encontra o empreendimento no cenário atual. O essencial é trazer todos os colaboradores para que seja realizado com a maior transparência possível, além de contribuir com mais opiniões e criticidade.


As informações discutidas são fundamentais para traçar um plano que contemple a realidade da empresa. Para organizar este momento de forma assertiva, junte os colaboradores em algum horário e busque fazer um brainstorming* em cada um dos eixos da análise SWOT. Ou seja, faça um quadrante buscando responder quais são as forças e fraquezas que abrangem o ambiente interno da organização e quais são as oportunidades e ameaças que o mercado externo oferece.



Fonte: Sebrae


Brainstorming* é uma ferramenta que consiste em abrir um tema para discussão, como por exemplo quais são as forças que a empresa possui acerca do ambiente interno, e promover uma “chuva de ideias”, em que cada pessoa expõe simultaneamente tudo aquilo que vier a mente sobre o assunto, pode ser utilizado post-its ou cartões para cada ideia ponderada.


Além de fazer a análise SWOT também é importante obter dados do mercado que a empresa atua e reunir pesquisas de satisfação dos clientes e dos funcionários. Quanto mais dados coletados que possibilitem analisar o cenário interno e externo da empresa, mais sólida será a estrutura organizacional.


2. Definição das diretrizes estratégicas


Esta etapa diz respeito à construção da missão, visão e valores da organização. Este ponto é muito importante para diferenciar o seu negócio do concorrente. Afinal, as diretrizes estratégicas representam a essência da empresa, como ela lida com os serviços que presta e os produtos que vende e como a empresa identifica oportunidades para se diferenciar dentre os concorrentes.


Na prática, a MVV é utilizada constantemente para a tomada de decisões, para a contratação de novas pessoas, para a construção da jornada do planejamento estratégico, entre outras opções. A definição de cada um desses princípios é:


Missão: Propósito do negócio, razão pelo qual a empresa existe;

Visão: Aonde a empresa pretende chegar, o que será do futuro do negócio;

Valores: Princípios prezados pela organização refletidos nas atitudes dos colaboradores.


A Solumax, por exemplo, utiliza uma nomenclatura diferente - propósito, impacto e valores - e são os seguintes:


Propósito: Transformar o conceito de empreendedorismo nos Campos Gerais;

Impacto: Destacar, a todos que atingimos, o caminho para a evolução;

Valores: 110% Solumax, Espírito colaborativo; Luta pela perfeição; Sustentabilidade corporativa.


Defina todos esses princípios para garantir que os planos estabelecidos sejam alinhados e respeitem a cultura organizacional da empresa.


3. Definição de metas e indicadores


Para este segmento, é necessário reforçar que metas são espécies de “entregas” que precisam ser feitas em um curto período de tempo, enquanto o objetivo é o alvo final que vai ser atingido a longo prazo. Portanto, o primeiro a se fazer é estipular um cronograma para acompanhar os resultados da empresa.


A definição dos objetivos, por exemplo, pode ser de uma periodicidade de seis meses ou um ano ou três anos, de acordo com aquilo que a empresa quer atingir. As metas, para serem melhor monitoradas, precisam ser constantemente batidas e reestruturadas, tudo acontecendo de maneira mais rápida. Busque fazer uma jornada com um objetivo final a ser alcançado e divida este caminho em ciclos para acompanhar as metas.


A melhor forma de definir metas é utilizar o método SMART. Escreva as metas de maneira que sejam: específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e que tenham um tempo determinado de duração.


Fonte: Sebrae


Além disso, também é importante analisar indicadores de desempenho para acompanhar os resultados da organização. Os principais indicadores de desempenho usados ​​por empresas de sucesso no mercado são os seguintes:


  • Indicador de lucratividade

O cálculo da porcentagem do lucro faturável é uma boa métrica que pode ajudá-lo a entender melhor o caminho que sua empresa está tomando e quais ações você pode ou deve realizar para melhorar os resultados.

  • Ticket médio

De grosso modo, é basicamente o faturamento dividido pela quantidade de vendas que a empresa realizou, imagine que sua empresa vende somente um produto - o ticket médio seria o valor deste único produto. Com isso, é possível se relacionar com os clientes e com os vendedores para saber quais clientes são os promotores da marca e quais funcionários têm melhor desempenho.


4. Desenvolvimento do plano de ação


Esta fase é responsável por viabilizar o alcance das metas e dos objetivos. Aqui será definido realmente o que precisa ser feito. Além de especificar as operações a serem realizadas, a previsão da data de implantação e quem é o responsável também deve ser claramente informado.


Para a construção do plano de ação é recomendável a utilização da ferramenta 5W2H, uma vez que ela contempla todas as premissas necessárias para a execução do processo. Veja bem:


  • (WHAT) O que deve ser feito?

  • (WHY) Por que deve ser implementado?

  • (WHO) Quem é o responsável pela ação?

  • (WHERE) Onde deve ser executado?

  • (WHEN) Quando deve ser implementado?

  • (HOW) Como deve ser conduzido?

  • (HOW MUCH) Quanto vai custar a implementação?


Perceba que respondendo todas as questões acima, o plano de ação fica extremamente detalhado e permite uma maior clareza do que será executado.


5. Gerenciamento e controle


Uma vez que o planejamento estratégico é executado, é preciso constantemente revisá-lo e monitorá-lo. O processo é periódico e infinito, o que significa que após a implementação, as ações devem ser controladas e as operações previamente definidas devem ser gerenciadas.


Busque fazer esse gerenciamento estipulando ciclos e faça reuniões periódicas para monitorar os resultados. Nessas reuniões instrua os colaboradores a trazerem dados sobre o andamento das atividades e aproveitem para construir os próximos passos que a organização deve seguir.


É importante relembrar que o planejamento estratégico não é uma metodologia imutável. Ou seja, ela pode e DEVE ser ajustada a cada momento que se sentir necessário. E os resultados, quanto mais forem gerenciados e controlados, mais rápido será a correção dos erros no meio do processo. Afinal, nem sempre tudo sai como planejado, mas não tenha dúvidas que planejamento seja algo essencial para o desenvolvimento.


Conclusão


Realizar o planejamento estratégico não é de maneira nenhuma uma tarefa fácil, ela exige habilidades de organização e gestão. Contudo, mover os recursos empresariais para instaurar uma cultura de planejamento estratégico impactará não somente no alcance dos objetivos, mas também impactará o ambiente interno do empreendimento.


Autor: Leonardo Rossi


Fontes:

GESTAO-EMPRESARIAL-Planejamento-estrategico-como-construir-e-executar-com-maestria.pdf (sebrae.com.br)

Planejamento Estratégico Empresarial: Como Fazer e Exemplo Prático (neilpatel.com)

ME_Definicao_de_Metas.PDF (sebrae.com.br)

Planejamento estratégico aplicado aos pequenos negócios - Sebrae


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo